sexta-feira, 20 de novembro de 2009

UMA TARDE POÉTICA

Apresento a vocês a poetisa Letícia Duarte. A jovem escritora, com apenas 15 anos de idade, lançou no dia 11 de novembro o seu quarto livro de poesias, intitulado “Visão do quarto”. Essa menina maravilhosa tem recebido vários elogios de artistas da nossa região. Teve a felicidade e a honra de algumas de suas obras serem musicalizadas.
Na tarde saudosa, em que aconteceu o lançamento, fui convidada por ela e seu pai, para ser mestre de cerimônia. Adorei o convite, pois fui sua professora de Língua Portuguesa até o início desse ano e sou uma admiradora de suas obras literárias.
Foi uma tarde maravilhosa! As pessoas que prestigiaram o momento, puderam apreciar suas poesias tanto declamadas por ela quanto pela atriz Aurenir e também, ouvi-las cantadas na voz do cantor Chico Mendes.
E para finalizar à tarde poética, os convidados degustaram de um delicioso lanche organizado com muito carinho e lirismo.

Parabéns Letícia! Que seus frutos poéticos possam continuar sendo saboreados pelos apreciadores da literatura.


Leiticia, sua mãe e seu irmão.


Euzinha, como mestre de cerimônia literária.



Os livros lançados pela jovens poetisa Letícia Duarte.






A atriz Aurenir declamando uma das poesias de Letícia Duarte.





O livro " Visão do Quarto".



O lanche (rsrs)












O Gestar em consonância com a Literatura


No dia 1º de outubro, nós, formadores do Gestar II de Língua Portuguesa em Petrolina/PE, organizamos um seminário, cujo tema foi “Literatura para adolescentes”, objetivando:
1- avaliar o envolvimento do professor com o que os adolescentes lêem;
2- conhecer as principais tendências na produção de uma literatura para adolescentes e critérios de seleção de obras;
3- desenvolver atividades capazes de despertar o aluno para o prazer e o valor da literatura.
Na ocasião, os professores de Língua portuguesa tiveram a oportunidade de aprofundar os seus conhecimentos literários, através das ricas explanações da Mestra Aparecida Brandão, que buscou na sua palestra fazer com que os professores fizessem uma viagem desde o campo dos conceitos até os dias atuais, como também, através da exposição dialogada, recheada de exemplos dinâmicos da professora especialista Flávia Maria de Brito, que apresentou o código imagético na obra literária.
Essa foi mais uma maneira audaciosa de trabalhar as unidades: 24 do TP6; 7 e 8 do TP2.




A mestra em Literatura Aparecida Brandão




A professora Flávia Maria de Brito

















domingo, 15 de novembro de 2009

SOMOS EDUCADORES!

video

AMIGOS VERDADEIROS EXISTEM. GRAÇAS A DEUS!

Ao ler o texto da minha amiga Diza, como os íntimos a chamam, juro que não contive a emoção, porque cada palavra fazia com que eu recordasse quantas e quantas vezes entrei pela madrugada organizando o que levaria para o encontro em Gravatá/PE – encontro de avaliação do curso, que aconteceu nos dias 22 e 23 de outubro. Pareceria comum, se eu não tivesse adoecido e ficado internada, lá em Gravatá, causando nos meus amigos um grande susto.
Chegamos ao Hotel Portal, na noite anterior ao encontro para que pudéssemos descansar um pouco. Viajamos numa Van por 11 horas num sol escaldante que nem o ar do carro conseguia amenizar o calor. Imaginem! Eu já não estava bem, sentia cólicas intestinais e a única coisa que agüentei ingerir durante o percurso foi água de coco.
E mesmo diante do meu estado de saúde, fiz o possível para participar da formação final. Mas, como dizem os mais velhos: “Nem sempre o que queremos, podemos realizar”. Foi o que aconteceu comigo: Organizei alguns slides com citações retiradas dos memoriais dos meus cursistas, levei uma sequencia didática de um dos professores para mostrar o quanto eles estão trabalhando e suas experiências estão sendo exitosas. Abriria a minha apresentação com um vídeo que adoro “Mudanças e atitudes”, para que todos, principalmente minha adorada formadora Isabel, pudessem perceber o quanto o Programa Gestar foi fundamental para minha qualificação profissional, pois assim como uma rosa (de preferência vermelha) que vai se desabrochando e tornando o ambiente mais belo e perfumado, eu comecei como formadora do Gestar. Hoje posso verificar que os jardins/as escolas por onde tive o imenso prazer de estar, consegui deixar o aroma perfumado do saber: o saber ser, o saber querer e o saber aprender a cada amanhecer e a cada anoitecer. Porém, Deus é quem realmente traça nosso caminho e hoje sei porquê eu precisava passar por tudo aquilo, no dia 22/10/2009. O Senhor quis mostrar-me que mesmo diante de tanta violência e injustiças nesse mundo, ainda há amigos verdadeiros.
Na tarde do dia 22/10, eu me esforcei para realizar uma boa apresentação, mas não conseguia esconder a insuportável dor que insistia em atormentar-me, embora já tivesse tomado tudo que tinham indicado de medicamento. Infelizmente, só tive a oportunidade de assistir a apresentação de: Diza, Vilani e Flávia. Diza deu um show na sua apresentação, mostrou seu blog e leu um texto de uma de suas cursistas. Vilani, mostrou o seu trabalho em banner e em vídeo. Só que Vila, como carinhosamente a chamo, fez uma surpresa para mim: realizou uma homenagem descrevendo o quanto significo em sua vida. Se sadia eu já me emociono com homenagens, imaginem eu doente! Flávia, uma professora nova na profissão, mas muito determinada e dinâmica fez suas explanações através de relatos da sua exitosa experiência, mesmo tendo enfrentado inúmeros desafios e dificuldades. Após a apresentação de Flávia, fomos para o intervalo, digo, meus colegas foram para o intervalo, porque eu fui para o quarto. Depois de três horas, Perpetua e Vilani chegaram ao quarto e me encontraram ardendo em febre, estava com uma forte infecção intestinal. Então combinamos que enquanto eu tomasse um banho e me arrumasse para ir ao hospital elas iríam jantar, pois tínhamos certeza que naquela noite eu dormiria no hospital. Fui levada ao hospital por Perpetua e Joselma, passei a noite tomando soro e medicamentos. Minha amiga Joselma, que tinha chegado de Recife, nem teve o privilegio de dormir no confortável Hotel Portal, tadinha, dormiu numa cama de hospital! (quase igual, não é? Até rimar, rimou. Brincadeirinha!) Enquanto Vilani mandava torpedos com mensagens bíblicas. Ao amanhecer ela trocou de turno com Vilani, que nervosa tentava me fazer sorrir e comer o tempo todo, sem muito sucesso! Nervosa porque o médico não queria me dar alta e precisávamos voltar a Petrolina/PE ao meio dia. No hotel Perpetua, Diza, Aparecida Brandão e nossa chefinha Isva, organizavam o retorno a cidade natal.
Em resumo, sai do hospital antes do meio dia, e ao chegar ao hotel recebi das mãos de Diza a lembrança de Isabel e o vídeo que ela passou no final do encontro, depois retornei a Petrolina com Isva e Aparecida Brandão no carro que viajavam, para que pudesse vir mais confortável. São momentos como esse, que percebemos o quanto os amigos são importantes na nossa vida, o quanto são fundamentais quando estamos longe de nossa família e de nosso lar. Lamento muito...muito mesmo, não está na foto final. No entanto agradeço a Deus, por ter colocado pessoas maravilhosas em minha vida. Pessoas solidárias que não mediram esforços para ajudar, deixando de: dormir na melhor cama do hotel; jantar e tomar café da manhã com calma, saboreando deliciosos pratos e até mesmo de dividir o conforto de seu carro para acolher um amigo.
Que o Senhor encha de luz e sabedoria a vida de cada uma delas!

Pois...

É impossível de esquecer
Fernanda Brum e Eyshila

Amigo é muito mais
Do que alguém pra conversar, alguém pra abraçar
Amigo é uma bênção
Que vem do coração de Deus pra gente cuidar

É assim que você é pra mim
Como uma pérola que eu mergulhei pra encontrar
É assim que você é pra mim
Um tesouro, que pra sempre eu vou guardar

Amiga, eu nunca vou desistir de você
E Pela tua vida eu vou interceder
Mesmo que eu esteja longe meu amor vai te encontrar
Porque você é impossível de esquecer

Eu acredito em você
Eu acredito nos sonhos de Deus pra tua vida
Amiga eu oro por você
Porque a tua vitória também é minha

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Melhores momentos do penúltimo encontro

Dinamizando a penúltima oficina do gestar, que aconteceu no dia 29/10/09, dividi a turma por escola e lhe entreguei uma das seções do TP1, para que os professores discutissem e aplicassem uma das atividades propostas (isso tudo antes do dia 29/11); em seguida, solicitei que na supracitada data, eles apresentassem para o grande grupo o relato da experiência vivenciada.
No dia da oficina, esperei que, depois das reflexões e das atividades propostas neste TP1, os professores cursistas fossem capazes de:
1 - relacionar língua e cultura;
2 - identificar os principais dialetos do Português;
3 - identificar os principais registros do Português.
4- caracterizar a norma culta;
5- caracterizar a linguagem literária;
6- caracterizar a língua oral e a língua escrita.
7 – identificar os traços da intertextualidade em nossa interação cotidiana;
8 – identificar os vários tipos de intertextualidade;
9 – identificar os pontos de vista nas diversas interações humanas.
Fiquei orgulhosíssima, pois os professores demonstraram segurança em todas as explanações feitas por eles. E após algumas apresentações saborearmos um delicioso lanche coletivo, que foi organizado para comemorarmos o Dia do Professor e o do Funcionário Público. Depois do lanche retornamos as apresentações.
Parabéns amigos Professores!

video